quarta-feira, 27 de abril de 2011

Cervejaria Angelo Peruchi



Ângelo Peruchi, filho de imigrantes italianos, nasceu em 23/05/1889 na localidade de Rio Maior no atual município de Urussanga – SC, aproximadamente em 1900 veio com a família para Cocal (atual município de Cocal do Sul) localidade na época também pertencente à Urussanga.
Em 1910 casou com Amábile Beneton (de Cezare). Versátil em seu lidar, entendia e fazia de tudo. Foi industrial, comerciante, minerador da mina de carvão Estrela do Oriente, corretor, prático farmacêutico, etc. Em Cocal tinha casa de negócio em sociedade com os irmãos José e David, foi Juiz de Paz em 1920.

Por volta de 1925, Ângelo Peruchi começa a fabricar cerveja e gazoza, uma espécie de refrigerante, no distrito de Cocal. A marca da cerveja era Cocalina e a da gazoza Ideal. Ângelo Peruchi fornecia esses produtos para as praças de Cocal, Criciúma e Urussanga. Posteriormente ele adquiriu em Criciúma a Fábrica de Cerveja de Cincinato Naspolini e a marca de cerveja “Deliciosa” que passou a produzir.

Em meados de 1930, foi membro da comissão encarregada da construção do Grupo Escolar Professor Padre Schüller,
Em 1932, Ângelo Peruchi aproveitou uma queda d’água e instalou um dínamo que fornecia energia elétrica para Cocal, em contato com a Prefeitura Municipal de Urussanga, obteve a concessão de fornecimento por 20 anos de energia elétrica, com a instalação de um novo dínamo produzia luz elétrica domiciliar e pública atendendo à vila Cocal, no período das 18 às 23 horas, cuja concessão transferiu em 1943 para os Srs. Luiz e Paulo Cechinel, que deram continuidade ao trabalho até 1953.

Possuiu o primeiro automóvel de Cocal, a primeira vitrola RCA Victor, o primeiro rádio. Como político, foi líder atuante na comunidade e exerceu o cargo de Intendente Distrital de 1931 a 1937, foi empreiteiro de 1939 a 1944.

Em casa atendia com sua esposa, os casos médicos mais simples nada cobrando dos pacientes, inclusive fazendo pequenas intervenções cirúrgicas e curativos.

Transferiu residência para Criciúma em 1942. Faleceu em 31/01/1954, em Criciúma, e lá foi sepultado.

7 comentários:

Leo disse...

Cara, que f*da seu blog!!!

Você não faz idéia de como eu achei legal. Tirando aquele livro sobre a história da cerveja no Brasil, achei que não tivessem mais registros sobre.

Sou do BBC tbm, me chamo Léo, e é uma honra saber que divido o grupo com pessoas como você.

Abraço

Anônimo disse...

será que deve ser parente pois meu avô também se chamava Angelo Peruchi

Anônimo disse...

Interessante que minha avó paterna, imigrou da Italia -Norte- antiga Prussia, chamava Angela Peruchi casada com Victorio Feletti, morou em Rio Claro SP mudando para o sertão de S J Rio Preto, fins do seculo XlX ou inicio 1900. Coincidencia de nomes, neto anonimo acima, minha avó Angela
Antonio Ferrari Feletti- Sousas-Campinas SP

titofeletti@hotmail.com

ECG disse...

Olá, moro no município de Cocal do Sul e segundo o relato do Sr. Vinicius Burigo, que possui a foto original em seu acervo particular dos tres Srs. acima, a legenda correta é: da esquerda para a direita: JORGE DA CUNHA CARNEIRO, JOSÉ ZANATTA E ANGELO PERUCCHI.
Parabéns pelo seu Blog. Estes registros são verdadeiras relíquias e que devem ser compartilhadas para que não se percam... Abraço.
Att. Ézio C. Goulart

Anônimo disse...

Os Peruchi gostam mesmo de uma cerveja.

André Gustavo Perucchi disse...

Era o meu bisavô!

Anônimo disse...

meu tataravô se chamava André Peruchi e tambem era italiano acho q podem ser da mesma familia