sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Fábrica de Cerveja Austríaca / Grintzler


Baseado no blog Antonio Rigotti - Pouso Alegre MG.
Imagem do rótulo cedida pelo colecionador Paulo Antunes Júnior



A imigração italiana é um capítulo da história rico em experiências e escasso em informações. Os navios que chegavam aos portos (Vitória, Rio de Janeiro, Santos e Rio Grande) não forneciam em suas listagens as cidades de origem dos imigrantes. Mas pesquisar as origens italianas significa descobrir de que região, província e cidade vieram os ancestrais. A tarefa não é fácil. Exige respeito, paciência, perseverança, além de muita pesquisa e uma boa dose de sorte.

Antônio Rigotti, ou melhor, Antonio Bortollo Rigotti, nasceu na Vila de Sporminore, Região Autônoma de Trentino-Alto-Adige, região do Trento, Itália, em 3 de abril de 1865 e foi batizado na Parrochia Dell'addolorata.

Antonio é filho de Bortolo Francesco Rigotti e Domenica Remondini Rigotti e sendo seus irmãos: Giuseppe Michelle Rigotti, Lucia Rosa Rigotti, Giambattista Bortolomeo Rigotti, Luigi Giovanni Rigotti, Luigi Michelle Rigotti, Maria Luigia Rigotti e Teresa Lúcia Rigotti.

Antonio Rigotti, já casado com Luigia Teresa Nardelli nascida em 17 de junho de 1872 e também natural de Sporminore, veio para o Brasil em 1894 tendo embarcado no porto de Gênova em 29 de dezembro com destino a "mérica", a bordo do vapor Maranhão, em sua companhia vieram a esposa, a filha Paolina Luigia, de um ano de idade nascida em 28 de novembro de 1893, e um cunhado.

No Brasil a família de Antônio e Luigia aumentou. Nasceram os filhos Vitorino, Gregório, José, Inês, Maria, Erenice, Vitória, Francisco e Zenaide. Em 1899 Antônio Rigotti inaugurou uma fábrica de cerveja em Pouso Alegre MG.

Transcrevo a seguir trecho do site “Pouso Alegre – Passado e Presente/Industrias”:
O processo industrial pouso-alegrense teve o seu início no final do século 19, quando alguns de seus habitantes, sem a tecnologia de hoje, ousaram constituir pequenas indústrias, inaugurando uma nova etapa no desenvolvimento da cidade.

Os pioneiros, homens sem tecnologia moderna, naquele instante, tornaram-se fundamentais, pelo impacto que deram ao desenvolvimento da cidade e os empregos que ofereciam, além do novo ciclo que fundavam.

Em 1899, uma delas, muito recente, alegrava bastante os moradores da cidade, principalmente os homens. Era uma fábrica de cerveja de propriedade de Antônio Rigotti, um imigrante italiano que viera para Pouso Alegre - MG.

Sua história é simples e cheia de poesia: para fabricar a cerveja, Antônio Rigotti ia todo santo dia pegar água num chafariz que havia atrás Catedral. Este chafariz oferecia uma água límpida de mina, a mais pura da cidade, e ideal para a fabricação da cerveja, que se chamava "Austríaca". O primeiro local da fábrica foi na esquina da Adalberto Ferraz com o Largo do Mercado, do lado direito de quem desce.

Pouco tempo depois, ela se mudou para a "Casa do Canto Redondo", que ficava na esquina da Adalberto Ferraz com a Afonso Pena, onde hoje existe um prédio de mármore de três andares.

A “Casa do Canto Redondo” tinha esse nome porque suas laterais eram arredondadas e, pela sua singularidade, foi uma das mais famosas e conhecidas de Pouso Alegre, e nela a fábrica da cerveja “Austríaca” existiu por dez anos.

Em 1914, no período da 1ª Guerra Mundial, por questões políticas internacionais, mudou-se o nome da cerveja para "Grintzler", bem como o local, indo para onde hoje está a Marcenaria Rigotti, na rua Marechal Deodoro, que é propriedade de seus descendentes.

De 1915 a 1917, tempo em que os padres holandeses lecionavam no Ginásio São José, a cerveja foi considerada pelos padres, conhecedores da melhor cerveja mundial, a alemã, como de primeiríssima qualidade, dando inclusive preferência à cerveja do Rigotti, em lugar das outras mais famosas.

A fábrica encerrou suas atividades, aproximadamente, em 1918, dando lugar a um novo tipo de negócio, restando, ao contrário dos tempos modernos, o exemplo de se fazer produção com elementos da melhor qualidade, com competência e honestidade, dado pelo saudoso e honrado imigrante Antônio Rigotti, um magnífico italiano que escolheu Pouso Alegre para seu serviço, sua descendência e seu amor!

Nenhum comentário: