sexta-feira, 18 de abril de 2014

Cervejaria Deutsch Bier Brauerei / Fabrica de Cerveja Rudolph Homrich / Port & Homrich




A Colônia Santo Ângelo, na Depressão Central do centro do estado e à beira do Rio Jacuí, foi a 25ª colônia alemã, criada oficialmente por lei em 30 de novembro de 1855, mas definitivamente instalada em 1857, pertencente, então, ao município de Cachoeira.

Em 16 de novembro de 1857 desembarcaram na margem esquerda do rio Jacuí, em Cerro Chato, atual município de Agudo, cento e dezenove colonos alemães, os primeiros imigrantes germânicos, os pioneiros da Colônia Santo Ângelo, os quais iniciaram um núcleo de desenvolvimento cultural e econômico na região central da Província de São Pedro do Rio Grande do Sul.

A chegada desses imigrantes e posteriormente dos italianos impulsionou a economia da região através das várias culturas e principalmente do arroz, muita da força dessa economia colonial estava no comércio dos gêneros produzidos nas propriedades familiares. O centro regional de vendas dos produtos agrícolas era a sede do Município de Cachoeira, cerca de 70 km a sudeste da colônia.

A família Homrich originária da cidade de Erbelfeld, na antiga Província do Reno, composta por Carl Johann Homrich (carl Homrich Sênior) nascido em 1809, casado com Wilhelmine Elisabeth Hüsselmann nascida em 1823 e os filhos: Carl, Otto, Emílio e Roberto, chegou ao Brasil em 1851, tendo se estabelecido em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.

Em 26 de dezembro de 1857, um mês depois dos primeiros colonos chegarem, o casal Homrich acompanhado do filho Carl Homrich Júnior, nascido em 11 de outubro de 1834, chegou à Colônia Santo Ângelo.

Carl Júnior casado com Luize Philippine Dreyer, foi empregado de Augusto Rhode em 1858, tendo se tornado curtidor e seleiro, depois fixou residencia na Colonia Santa Cruz. Posteriormente foi para a Argentina, em 23 de março de 1870 retornou à Colonia Santo Angelo, em 1875 foi um dos fundadores do Gesangverein Hoffnung, o Coral Esperança, tendo sido eleito secretário. Foi professor do Estado e de aulas de confirmação e por último, em dezembro de 1894, escrivão civil. Faleceu em 20 de julho de 1920 em Agudo.

Karl Homrich Júnior e Philippine Dreyer (esposa)
Agudo, 19.1.1906

Em 2 de fevereiro de 1859, vindo de Porto Alegre, chegou na colônia um outro filho, Otto Homrich, nascido em 12 de julho de 1837 e que se tornou agricultor, cervejeiro e comerciante estabelecido na Picada Morro Pelado. Otto faleceu em 25 de novembro de 1926 em Agudo.

Otto Homrich e Mathilde Henriette Pötter (esposa)

A apreciação e consumo da cerveja é um dos traços marcantes da cultura alemã. Em 1858, a cevada plantada era utilizada, basicamente, para a produção de cerveja, em humildes fabriquetas, pelos próprios imigrantes.

Na década de 1880, a cidade possuía uma atividade econômica diversificada, com cinco estabelecimentos industriais, nove comerciais e dez de serviços. A indústria era composta pela fabricação de cerveja, tijolo, sabão e carne, além do beneficiamento de arroz; o setor comercial vendia tecidos, secos e molhados, ferragens, vinhos, carnes, artigos de ouro e relógios, pães e remédios; o setor de serviços abrangia alfaiates, barbeiros, casas de bilhar, funileiros, marceneiros, médicos, sapateiros e tamanqueiros, tipógrafos e hospedarias.

Da sua criação até 1882, a colônia esteve sob o controle da administração provincial, por meio de um diretor nomeado pelo Presidente da Província; a partir de então, teve abolida a sua autonomia administrativa e foi incorporada como distrito à administração de Cachoeira. No dia 4 de setembro de 1885, a Câmara Municipal de Cachoeira do Sul dividiu a Colônia Santo Ângelo em seis grandes complexos de acordo com a Lei nº 1.433 de janeiro de 1884, para arrecadação do imposto colonial. Neste momento, foi extinta a unidade e a autonomia da Colônia Santo Ângelo. A partir desta data, Santo Ângelo deixou de existir, surgindo em seu lugar distritos que deram origem a vários municípios: Agudo (1959), Restinga Seca (1959), Nova Palma (1960), Dona Francisca (1965), Paraíso do Sul (1988) e Cerro Branco (1989).


Nas dècadas de 1880-90, por causa das melhorias de infra-estrutura da cidade de Cachoeira, vários comerciantes e agricultores enriquecidos, provenientes da Colonia Santo Angelo, se instalaram na cidade.
Na Rua Sete de Setembro foram se instalando as casas comerciais de primeira classe, e sob a administração do Município de Cachoeira não foi diferente de quando os primeiros alemães se estabeleceram na Colônia Santo Ângelo, onde logo deram jeito de providenciar a fabricação das bebidas tão apreciadas, logo a Rua Sete de Setembro ficou pontilhada de chaminés das fábricas de cerveja.

Em 1883, a cidade tinha tres cervejarias e entre elas a Deutsch Bier Brauerei, fundada por Rodolpho(Rudolph) Homrich, filho do cervejeiro Otto Homrich.

Rodolpho foi uma pessoa muito dedicada aos assuntos da comunidade e sempre participou dos assuntos ligados à cidade. Em junho de 1893, foi um dos 27 fundadores da Comunidade Evangélica, tendo sido eleito um dos seus diretores quando resolveram adquirir uma casa, que servisse de Escola e de Capela. No dia doze do mesmo mês, uma comissão adquiriu, em nome da futura Comunidade, uma casa do senhor Antônio Neves por 2:750$000, situada ao leste da Praça José Bonifácio; Em agosto de 1896 participou da fundação do Schützen-Verein Eintracht (Sociedade dos atiradores Concórdia), hoje Sociedade Rio Branco, na residência de José Müller, na Rua 7 de Setembro, por 16 membros da Comunidade Alemã; Em 1904 foi presidente da Liga Operária; Em 1910 foi eleito membro da diretoria do Schützen-Verein Eintracht; Em junho de 1920 fez parte da comissão de angariadores de donativos para a festa do centenário de Cachoeira; Foi grande entusiasta do tênis, ciclismo e exímio atirador tendo recebido diversos prêmios.

Em 1901 a Cerveja de Rodolpho Homrich foi premiada na Exposição Estadual.

Em 1907 Rodolpho Homrich se une a Pedro Fortunato Baptista para a fabricação de licores sob a firma Homrich & Baptista.

Em 5 de janeiro de 1912 por volta de 19 horas desabou forte temporal sobre a cidade, chuva torrencial e fortes ventos causaram, na cervejaria um prejuízo estimado em Rs 2:000$000.

Em 8 de julho de 1913 foi registrado, na Junta Comercial do Rio Grande do Sul, sob o número 2289, o segundo exemplar do rótulo da Cerveja Homrich.

Por volta de 1918 o Almanaque Laemert deixa de fazer referencia à cervejaria de Rodolpho Homrich, é possível que tenha encerrado a produção.


Em 3 de março de 1926 é publicado no jornal A Federação que, na sessão de 2 de março, na Junta Comercial foi despachado o requerimento para o arquivamento do contrato social feito entre Pedro Port e Rodolpho Homrich para a fabricação de bebidas em geral com o capital de Rs 340:000$000 sob a firma Port & Homrich.

Em 29 de novembro de 1928 é publicado no jornal A Federação a relação dos premiados na Grande Exposição Comercial, Industrial e Agropecuária do Rio do Grande do Sul, aparecendo nesta relação a firma Port & Homrich premiada com 2 medalhas de ouro, uma para a cerveja pilsen e outra para a Agua de Abacate, uma especialidade sem álcool.

Até 1932 esta cervejaria ainda estava em funcionamento.